Arquivo para junho, 2007

Santa Clara

Amanheci de um modo novo hoje
as luzes de sempre
não me prendem mais com suas âncoras
queimei as lanças
e fui deixando para trás
a casa, o pátio, a aldeia
docemente ensolarada

Rasguei as certezas
enterrei os vestidos
e agora tenho por riqueza o vento

que sustenta os pássaros

(Iracema Macedo, in Invenção de Eurídice)

Boa sorte / Good Luck

Um CD que não tenho parado de ouvir é Sim, de Vanessa da Mata. A música Boa Sorte / Good Luck, dela com o Ben Harper é muito linda, apesar de ser meio “fim de relação”. A interpretação é de arrepiar.

Acho que dá para ouvir aqui na rádio uol A letra vai abaixo.

é só isso,
não tem mais jeito,
acabou,
boa sorte.
não tenho o que dizer,
são só palavras,
e o que eu sinto,
não mudará.

tudo que quer me dar,
é demais,
é pesado,
não há paz.
tudo o que quer de mim,
irreais,
expectativas,
desleais.

that is it,
there’s no way,
it’s over,
good lucK.
i have nothing else to say,
it’s only words,
and what I feel,
won’t change.

tudo que quer me dar, (everything you want to give me)
é demais,
é pesado, (It’s over)
não há paz. (it’s heavy)
tudo o que quer de mim, (there’s no peace)
irreais, (all you want from me)
expectativas, (It’s surreal, the expectations)
desleais.

medo se segure
quero que se cure
dessa pessoa que o aconselha.
há um desencontro,
veja por esse ponto,
há tantas pessoas especiais.

now, even if you are yourself
i want you to get the cure from this person

there is a disconnection
see through this point of view
there are so many special people in this world.
sooo many special people in the world.
in the world. All you want, all you want

tudo que quer me dar, (everything you want to give me)
é demais,
é pesado, (it’s over)
não há paz. (it’s heavy)
tudo o que quer de mim, (there’s no peace)
irreais, (all you want from me)
expectativas, (it’s surreal, the expectations)
desleais.

falling, falling, falling into the night.
falling, falling, falling into the night.
falling, falling, falling into the night.

No plano piloto

Após cerca de duas horas de atraso, as luzes de Brasília me recebem, com a impressão de que tem um ar condicionado ligado em toda cidade. Petiscos e chopp num ventinho gelado, bom papo e reencontro quase que combinado. Assim foi minha chegada na capital federal. Hoje, o dia foi de muito trabalho, debates e discussões sobre comunicação. Amanhã tem mais.

Para não esquecer de nossas manhãs

Pronto. Acabou. Enfim, livre. Essas talvez fossem as palavras certas para dizer como me sinto ao terminar um curso que estava fazendo todo santo dia, das 7h30 da madrugada até às 9h30.

Talvez fossem, isso se eu não tivesse encontrado um amigo perdido no infinito, que toda manhã me fazia rir, visitar sites, blogs e fotologs, falar sobre gays, rir das risadas virtuais, falar de marketing, revista caros amigos, etc, etc.

Ele é lindo, talentoso, determinado e muito meigo. Gosta de fotografias na praia e tem amigas inseparáveis. Também faz uns vídeos engraçadíssimos, incluindo até Odete Roittman, acreditem!!! Ainda é um menino, desses que não sabem o que vão ser quando crescer, mas está no caminho certo: gosta do que faz e é inteligente.

Ah, brubruuu, vou sentir muitas saudades!!!

Testando a saudade

Não sabe direito quando deixou de falar com ele, nem o que fez para ele perceber que não devia mais entrar em contato. Simplesmente aconteceu.

De lá pra cá, às vezes ela se distrai e pensa nele, mas não sente vontade de vê-lo nem de falar. Apenas o nome vem à mente, como uma oração. Não tem muito como impedir, então deixa o pensamento ir e vir, como um mantra ou um momento da meditação.

Às vezes também testa se vai sentir saudade. Por exemplo, pega o celular e vai ler e apagar as mensagens guardadas e grudadas à memória por tanto tempo. Lê a primeira e lembra de quando foi enviada, da resposta que deu, e fica esperando sentir um frio na barriga ou outro sinal de que ainda sente alguma coisa.

Por enquanto, ainda não sentiu nada. Isso é um bom sinal. Sinal de que está se curando da sua sina e de que o mapa astral no mesmo dia do aniversário dos dois está se concretizando.

Liberdade de quê mesmo?

Após a inexistente cobertura do I congresso do PSol, em pleno Rio de Janeiro, a Rede Globo de televisão dá mais um espetáculo de, digamos, sonegação de informações, ao ignorar o V Congresso do MST, em Brasília.

A emissora vinha fazendo uma verdadeira campanha pela liberdade de imprensa e de expressão, no caso da RCTV, ou seja, liberdade de imprensa sim, mas apenas para os donos da TV.

Porque nada justifica um evento do maior movimento social do país, que está reunindo mais de 15 mil pessoas na capital federal não ser pautado em nenhum telejornal. Isso é uma decisão política e só mostra mais uma vez como a emissora não quer discutir os verdadeiros problemas que permeiam a sociedade brasileira, como a reforma agrária, e não dá espaço nem voz aos que anseiam por mudanças.

Para saber sobre o congresso clique aqui e aqui.

Papel de mulher ou homem na relação?

Comecei a pensar nisso quando vi a ex-big brother Grazi Massafera falar sobre o antigo namoro com Alan Passos. “Cansei de fazer o papel de homem da relação”, disse em entrevista à revista Ouse Mais!.

E, depois que li o artigo da escritora Amy Sohn, no New York Times, disponível no Uol, com o título “Meu marido é mais mãe que eu“, soaram os tambores. No texto, ela afirma: “Eu pagava o aluguel, água e luz, TV a cabo e os cartões de crédito, enquanto ele cozinhava e lavava os pratos. Em certo nível, a troca parecia justa. Afinal, quantas gerações de homens e mulheres coabitaram dessa forma, mas com os papéis invertidos?

Entrei em parafuso, pois comecei realmente a achar que tenho uma relação parecida com isso. Diferente porque não envolve dinheiro, ele trabalha e tudo, mas às vezes me mima demais! Tá, admito que adoro que ele lave a louça e faça a comida – aliás cozinha muito bem (A essas alturas vocês devem estar me achando louca, lendo isso agora estou me achando louca, kkk).

Mas eu queria me sentir motivada a fazer isso, porque por outro lado, como ele age assim, a relação exige outra postura minha e, na verdade, só sinto uma grande preguiça de tudo. Será que é errado querer ser mulherzinha de vez em quando???