Arquivo para casa nova

De Natal

pb220206_1.jpg

Agora só faltam os presentes…

Árvore pronta,

Anúncios

Jingle bell, jingle bell

Não quero pensar muito nisso senão fico meio tristonha, mas se não me falha a memória esse ano será a primeira vez na vida que terei uma casa enfeitada para o Natal.

Em criança, minha mãe (porque geralmente os pais não se importam com isso), bom, ela também não ligava a mínima e nunca explicou o significado, nunca tivemos presentes, meias, essas coisas. Tudo bem que lareira é uma coisa ultradistante, quase um extraterrestre aqui na minha cidade… Então, nunca tivemos Natal, no sentido da palavra, apesar de morar numa cidade que se chama, opss, Natal.

Quando saí de casa, aí sim, todo ano nos reunimos e fazemos amigo secreto, tomamos vinho e comemos peru e sempre é muito bom. Mas na minha própria casa nunca coloquei um enfeitinho sequer, por motivos vários e ligados ao meu exx.

Agora, enfim, vou colocar guirlanda na porta, comprar panos de prato temáticos, papais  noéis de plástico e, quem sabe, até ter uma árvore enfeitada com pisca-piscas…

Tons de lilás

E eu que andava tão ensimesmada, achando que nada de bom acontecia, agora vejo que até um ipê roxo existe ao alcance de minha janela.

Sem a telinha

Estou igual àqueles ex-fumantes que contam os dias que ficam longe do cigarro: hoje completei o segundo dia sem a televisão. Pois é, de tão velhinha, a coitada queimou de vez e agora estou num quarto andar, sem ter como descer com ela, nem como subir com uma nova. Ai ai, como faz falta um homem nessas horas…

De doenças e outros demônios

Quando estamos sós, temos que passar por momentos bons e ruins, ontem a noite passei por minha primeira provação: fiquei doente. Era tanto frio que não sabia o que fazer. E o pior é que passa tudo pela cabeça: “não tem ninguém aqui para eu pedir um chá”, “eu poderia morrer aqui e só iriam descobrir depois”. Só pensamentos, assim, animadores. Minha vontade era de voltar pra casa do ex, mas me controlei e sobrevivi. Hoje já estou bem melhor.